0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar o link

As cirurgias do LCA (ligamento cruzado anterior) comecaram a ser feitas no inicio do século XX. Muitas técnicas foram realizadas com diversos enxertos e tipos de fixacao. Até os anos 80 o principal tendão utilizado era o tendão patelar. Ao redor de 1995 iniciou-se a utilizacao dos tendões da pata de ganso ou tendões flexores (semitendinoso e gracil ) e até hoje utilizamos os dois tendões. Utilizavamos o enxerto que era reconstruído da tibia para o femur de forma isométrica com 95 % de bons resultados. Ao redor de 2005 foi introduzida a idéia de que se fizessemos 2 feixes ao invés de 1 feixe único de 4 tendões diminuiriamos a rotacao da tibia sobre o femur diminuendo a chance de novas ruturas e diminuindo a porbabilidade de artrose. A idéia não foi comprovada ,mas levou a nova alternativa de utilizacão do tendão quadruplo dos flexores ou t. patelar (ligamento patelar ) de forma anatômica de maneira que o tendão ficasse mais inclinado dando o mesmo efeito da dupla banda . Hoje o cirurgião deve definir qual a melhor técnica de acordo com o perfil do paciente.

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

Os joelhos são compostos por três ossos fêmur, tíbia e patela. Os ossos do fêmur e da tíbia são interligados por ligamentos, cápsulas e tendões. Os ligamento são as estruturas mais importes, pois eles mantém a estabilidade entre os ossos do joelho.O joelho possui o ligamento cruzado anterior, ligamento cruzado posterior e os ligamentos colaterais medial e lateral.

O encaixe ósseo entre o fêmur e a tíbia no joelho é muito precário, desta forma o os ligamentos mantém a integridade da articulação, porém são sobrecarregados pela a estrutura anatômica formada pelos ossos que não possuem o encaixe perfeito.

“Ligamento cruzado anterior após reconstrução realizada por vídeoartroscopia do joelho”

LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

O ligamento cruzado anterior é um dos principais ligamentos do joelho, pois tem a função de estabilização do mesmo, ele ajuda no movimento de rotação, movimento de escorregamento também chamado de rolamento do joelho, ele impede a translação anterior da tíbia e a rotação externa da mesma. Em geral os movimentos torcionais, onde o paciente fixa o pé no solo e gira o corpo para o lado oposto acabam acarretando a lesão do ligamento cruzado anterior deste ligamento.

A lesão do ligamento cruzado anterior pode ser parcial ou total. Vários tipos de trauma promovem a lesão do ligamento cruzado anterior, a grande maioria dos casos são principalmente aqui no Brasil, em casos de pacientes que se lesionam jogando futebol. O futebol é um esporte que utiliza muitos membros inferiores e faz vários movimentos de rotação externa do pé durante a partida. Este movimento uma vez travado os pés no solo e o corpo girar para o outro lado, solicita sobre maneira o ligamento cruzado anterior, podendo rompe-lo.

O diagnóstico do ligamento cruzado anterior pode ser feito clinicamente através de testes específicos realizados pelo médico ortopedista, através exames radiográficos no caso de retirada de ossos junto com o ligamento, e na ressonância magnética mostrando a lesão no interstício do ligamento ou na retirada do ligamento. A Ressonância nuclear magnética possui de 5 a 10 % de falsos positivos.

Uma vez lesionado o ligamento, em geral em pacientes jovens ativos e atletas, o tratamento deve ser cirúrgico, pois vários trabalhos demonstram que ao passar do tempo, os pacientes acabam tendo novos entorses de repetição por falta deste ligamento, e cada um destes entorses acabam promovendo outras lesões no menisco e na cartilagem. Sendo assim em casos em que existe indicação, este deve ser feito de maneira em que evite a instabilidade articular e protegendo novas lesões.
image

CIRURGIA DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

cirurgia do ligamento cruzado anterior A cirurgia do ligamento cruzado anterior pode ser feita utilizando-se vários tendões, os tendões flexores chamados de semi-tendineo e gracio, o terço central do tendão patelar hoje chamado de ligamento patelar e até mesmo do ligamento quadricipital. A escolha do tendão depende muito de vários fatores, entre eles o biótipo do paciente, o esporte de eleição praticado pelo mesmo, a habilidade médica para utilização de um ou outro tendão. Independentemente do tipo do tendão, a colocação correta do novo ligamento no local correto propicia a restauração completa deste ligamento, quem em média se faz ao redor de seis meses após a cirurgia.

Hoje em dia 60 trabalhos tem apontado para uma possível melhora na utilização de tendões duplos ou chamados de duplo feixes. Teoricamente estes tendões sendo duplos, em novas posições diminui a rotação externa da tíbia sobre o fêmur, diminuindo o movimento rotacional do joelho e fazendo teoricamente que com isso consigamos diminuir a chance deste paciente desenvolver o desgaste ao longo do tempo. Apesar de vários especialistas de joelho estarem desenvolvendo esta técnica ainda não há comprovação científica que ela é melhor do que a técnica tradicional feixe único.
image